quinta-feira, 21 de março de 2013

Tchau mãe!


Você acorda, levanta, faz seu próprio café, vai até a padaria se quiser um pão na chapa com manteiga e lava toda a louça e tira a roupa da máquina para estender, ou pega algumas roupas para passar. Liga a televisão, e lá está a Ana Maria Braga com seu irritante e excessivo bom humor matinal. Faz o almoço, toma um banho, passa um 'tira olheiras' na cara e sai para trabalhar.

O dia se arrasta, seu patrão não para de falar e o mundo gira rápido demais. Fim do expediente! Você vai estudar ou combina aquela cerveja gelada com os amigos. Resolve que está na hora de ter sua carteira de habilitação. Gasta dinheiro, fica horas dentro de uma sala com alguém que tenta ensinar e ser engraçado ao mesmo tempo. Os ponteiros do relógio se arrastam lentamente, num silencioso tic-tac ensurdecedor. O dia escurece, quando vê sua casa, aquela que você passou o dia com saudades, já são onze da noite e seu corpo pede por cama e sua mente por sossego.

No dia seguinte, despertador toca e começa tudo de novo com seu próprio café, uma pia piscando sorridente para você com pilhas de louça para lavar e MEU DEUS! Cadê a minha mãe?

Quem disse que sair de casa para viver com alguém é fácil? Você deixou para trás toda sua mordomia de café da manhã na mesa e almoço feito. Abriu mão de roupa macia com cheiro gostoso de mãe e passada em cima da cama. Você divide seu dia, sua vida com alguém. Você deixa aquela uma horinha a mais de sono para passar a roupa de vocês. Você se programa para fazer aquela janta ou almoço todo especial para ele. Você quer que ele chegue e tenha uma casa toda limpa e cheirosa com a cama de vocês arrumada para vocês poderem deixar ela do avesso. Você chegou em casa do trabalho e tem uma trilha de roupas, meias pretas e toalha jogadas pela casa.  A tampa da privada está levantada. Roupas amassadas. Tudo fora do lugar. A pasta de dente destampada. Documentos espalhados pela casa e papel de chocolate até debaixo da cama. Mas você não grita por socorro. Não pede ajuda. Não reclama. Você sorri!Sorri porque ali tem todo um cotidiano. Uma mania que te irrita e te enlouquece. Sorri porque ali tem sua metade que te faz inteira. O diferente que te completa. Porque sabe que a noite ele vai voltar jogando tudo por todos os cantos mais uma vez e com o sorriso mais gostoso do mundo, vai dizer com os olhos brilhando o quando sentiu sua falta durante o dia, o quanto esperou pela hora do dia mais gostosa: aquela hora em que ele está com você. E te abraça com cheiro de um dia de trabalho e um desejo insaciável. 

E mais uma manhã você está lá ouvindo seu despertador despertar seu mau humor e começar tudo de novo. E por mais difícil que seja SER gente grande, por mais que ter responsabilidades seja um grande porre, você tem a certeza de que nada como acordar e ter alguém para ser e fazer feliz. 


Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...