quinta-feira, 28 de abril de 2011

Concepção de relacionamentos

Algumas pessoas costumam perguntar por que fujo tanto de relacionamentos. 
Por mais que eu acredite que eles são quem fogem de mim – brincadeira – não acho isso. Não é isso, na verdade.
Já tive dois consideráveis, e tenho que dizer, foram incrivelmente intensos.
Mas calma, não é dos relacionamentos que já tive que quero comentar aqui.
Presencio todos os dias pessoas que reclamam do seu parceiro (a), outras que estão no abismo por que foram traídas, outras por que sentem que já não gostam mais como antes do outro e/ou vice-versa.
Há aquelas que sofrem por não ter alguém. Ou um namoro, um casamento.
E existem aquelas raríssimas que tem alguém e estão completamente satisfeitas. São poucas, mas existem. 


As que estão literalmente no fundo do poço, achando que depende da outra para viver, me pergunto até que ponto vale a pena não considerar mais nenhum pingo de amor próprio, para manter alguém ao seu lado?!
Não deu certo ou aconteceu algo uma vez, duas, dez vezes... E por que continuam ali paradas esperando para esquecerem qualquer coisa que tenha acontecido somente para ter a pessoa ao seu lado?
Não admito ouvir que é por amor. Alguém que não tem amor próprio, não pode ter por outra pessoa, convenhamos.
A pessoa trocou você por outra, e você ainda sofre por ela e quer ela de volta como se fosse parte do seu oxigênio.
Me poupe do drama. 


As que procuram loucamente por alguém acabam esquecendo de si mesmas.
Ainda não conhecem a frase clichê de Mário Quintana 'O segredo é não correr atrás das borboletas... É cuidar do jardim para que elas venham até você.'?
Nessa busca incessante você acaba se relacionando com o primeiro que aparecer e nada mais nada menos que um mês, vê que está enganando a si mesma e ao outro.
Isso acaba sempre por machucar algum dos lados. 


Aos que encontraram a metade da laranja e vivem isso com sinceridade, com amor de verdade, respeito e companheirismo, meus parabéns!
Esses fazem parte de uma grande minoria.
Acho egoísmo ter alguém apenas para preencher um vazio, suprir uma carência.
É um coração que podem colocar em suas mãos, e você já sabe que não pode carregar. 


É bem simples o motivo por qual ainda não penso em levar um relacionamento sério, de verdade. Por qual razão não penso em casamento e dividir o resto da minha vida com alguém.
Penso que se há alguém no mundo em que fará isso acontecer, ou que então mereça minha companhia até chegar a velhice e quem sabe encontrarmos em um outro plano, está perdido por ai. Talvez até esteja perto, ou quem sabe escondido.
Desejo que continue onde está, meu momento não pede por ninguém. 


Não confie seu coração e nem traga para viver sua vida com você, alguém que seja só ‘alguém’.
Não jure diante de Deus e com direito a testemunhas, fidelidade e amor eterno, se não for assim que vai acontecer.
Acredito no fim das contas não há nada melhor viver do que bem e feliz consigo mesma. Sentir um imenso amor próprio.
Deixo estar que, o que for pra ser, será!

Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...