sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Quando 1+1= 1



'Quando eu escolhi amar incondicionalmente que meu coração acalmou.'

Abandono o top less porque assim o mundo fica em paz com você e as marcas do meu biquíni viram inspiração pra sua piração. Abandono meu vício pelas baladas intermináveis pra me viciar só em você. Interminável. Infinito. Como tudo deve ser.

Ele me parou. Me segurou pelo braço. Me encostou na parede. Deixou minhas pernas bambas. Meu coração disparado. Parou meu mundo por um segundo. Com aquele cabelo atrapalhado. Aquela boca com gosto de “te quero”. E aqueles braços pedindo “me beija”. Aquele sorriso de um lado só da boca. Meio tímido, meio tarado. E completamente apaixonante.

Bastou um olhar pra eu achar que ele valia a pena. Não era um olhar qualquer. Era aquele olhar que me arrancava a roupa em pensamento. Sem pudor. Em público. Estático. Um olhar que me deixou seca. Que me tirou do prumo. Fez eu lembrar que eu preciso da emoção. Do desafio. De alguém pra quem olhar e pensar: é você que eu quero agora. Preciso ter você pra mim pra sempre.
Ele me rouba de onde eu estiver. Me faz largar tudo. Jogar tudo pro alto. Porque ele é um espetáculo à parte. E me tem sentada na primeira fila. Ali. Babando. Rindo com aquela cara boba quando ele me chama de linda. Ficando com as bochechas rosadas quando ele diz que me quer. Sentindo um arrepio na espinha quando ele fala que vai me agarrar.

Faz isso. Me agarra. Me joga em cima de você. A gente tem mesmo muito o que aprender um com o outro. Somos de mundos diferentes. O Sol e a Lua. O garoto do correto e a menina do mundo. Suas havaianas e meu salto agulha. Seu jeito leve de viver a vida e minha correria do dia-a-dia. Você do dia e eu da noite. Você pedindo calma e eu neurada.

Dá pra fazer várias cópias de você e espalhar pela cidade pra toda hora que eu precisar? Dá pra parar de mexer no seu computador pra eu ficar só te olhando? Dá pra ficar mais tempo me explicando qualquer coisa em que eu não vá prestar atenção porque sua boca se mexe tão suave que eu tenho vontade de mexer meu corpo inteiro junto com ela? Dá pra me olhar por mais um segundo (ou dois, se eu sobreviver ao primeiro)?  Dá pra ser só meu pra sempre?

Dá pra mandar eu parar de escrever sobre você porque eu to ficando muito clichê?


Obrigada por existir. Por existir assim dentro de mim.  
Eu te amo, com Tahoma!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...