quarta-feira, 7 de março de 2012

Viva da tua maneira, saiba o seu valor.


A desculpa clichê 'O problema não é com você, sou eu' usada para terminar relacionamentos é fajuta, mas pode realmente ser verdadeira em alguns - e poucos - casos.
Já ouviram falar alguma vez em namorofobia? 
Sabe aquela pessoa que sempre cai fora do relacionamento quando as coisas começam a ficar sérias? Por mais que encontre alguém bacana morre de medo de se envolver? Ou então nunca acha alguém que esteja "à sua altura"? A palavra namoro chega a ser motivo de piada para ela.
Esse comportamento tem nome, chama-se namorofobia, e cresce cada vez mais o número de pessoas que sofrem dessa síndrome.


Neste caso sim, o problema é com você e sua mente perturbada. E não do cidadão em que apenas faz de tudo para lhe agradar. 
Você não consegue ao menos cogitar a hipótese de apresentar à sua família. Se sente na obrigação de dar atenção e estar sempre com a pessoa. Prefere chegar na sua casa e dormir. Sozinha! A ter alguém ocupando a mesma cama que você sempre, e roubando a sua coberta, querendo ficar abraçado no calor de matar e encostando em você o pé gelado no frio de morrer. 
Você quer sempre fazer o que quer, quando quer e com quem quiser sem ter de dar satisfação ou leva-lo junto. 
Se sente mais a vontade no cinema com os amigos do que a sós na companhia dele. 
Se alguma dissimulada der em cima dele, você fica 'P' da vida mas sabe que é só seu egoísmo gritando por dentro. 
Você gosta dele, acha ele engraçado e se sente bem quando estão juntos. Mas se puder fazer o fato de não estarem juntos acontecer, você faz sem culpa alguma. 


Todos dizem que ele é 'o cara perfeito'. Mas perfeito para quem? Para eles ou para quem quer um relacionamento sério? Para quem seja, menos para você. 
Você acredita que o casamento é o único velório que a mulher acompanha o homem vestida de branco e casais dengosos um grande tédio. 
E então? Ainda acredita que o eterno clichê é sempre tão fajuto?! 
Como diria Caio Abreu: 'É difícil aprisionar os que tem asas.' 

Permita-se viver da maneira que lhe convém. 
Se estiver deixando passar oportunidades indispensáveis e pessoas incríveis, deixa o tempo mostrar isso lá na frente. É preferível se odiar por arrependimento de algo do que deixar de pensar em si mesmo para satisfazer outro alguém. 
Isso sim é um erro imperdoável: se fazer menos feliz do que se possa realmente ser. 

Acredito que, que por uma razão ou outra, lá na frente tudo se explica. Tudo se ajeita. 

- Larissa Rosolen

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...