segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Você é aquela pessoa que sempre está disposta a ajudar a tudo e a todos, sempre olhando situações ‘de fora’ com clareza e o lado sensato.
E de repente acontece com você, e sua sensatez parece ter saído de férias, e você já não sabe mais onde estão seus braços, onde fica sua cabeça ou pernas.
É muito mais fácil resolver os problemas alheios, que os nossos.
Muito mais fácil curar a dor de um amigo, do que a que está dentro da gente.
Muito mais fácil viver pra sempre da mesma maneira, do que arriscar algo incerto que pode te fazer arrepender depois.
Melhor arriscar e se arrepender de ter feito ou não arriscar e ficar pra sempre na dúvida de como poderia ter sido?
- Larissa Rosolen



‘Custamos a respeitar as dores invisíveis, para as quais não existem prontos-socorros. Não adianta assoprar que não passa.'
                                                               (Martha Medeiros)

Um comentário:

  1. Este é o nosso mal, conseguimos receitar uma cura para dores que não são nossas, mas quando somos nós que estamos sentindo e vivendo, nada fica claro, e os conselhos que damos parecem não servir para nós! Oh jeito irônico que trabalhamos nossos sentimentos e dores, complexidade simples, contraditório!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...